Glossário
 

A
B
C
D
E
F
G
H
I
J
K
L
M
N
O
P
Q
R
S
T
U
V
W
X
Y
Z

A
Ação

título negociável, que representa a propriedade de parcela do capital de uma sociedade anônima.

 

Ação de primeira linha (blue chip)

são ações de empresas que apresentam uma quantidade maior de negócios nas bolsas de valores, ou seja, detém a preferência dos investidores e, portanto, possuem maior liquidez.

 

Ação Ordinária

permite o direito de eleger a diretoria (conselho) da empresa que a emitiu. No entanto, quando ocorre uma distribuição de dividendos da empresa, os proprietários de ações ordinárias só as receberão depois que os proprietários de ações preferenciais tenham recebido o seu percentual fixo.

 

Ação Preferencial

o proprietário deste papel tem o direito de receber um percentual fixo dos lucros, antes da distribuição dos dividendos da empresa. No entanto, não tem direito de voto na eleição da diretoria.

 

ADR (American Depositary Receipts)

são certificados, emitidos por bancos norte-americanos, que representam ações de empresas sediadas fora dos Estados Unidos. Esses papéis podem ser negociados no mercado americano - alguns deles, chamados ADRs de nível 3, podem até ser vendidos na Bolsa de Valores de Nova York. As empresas buscam o mercado americano porque lá podem encontrar um mercado maduro e compradores capazes de elevar o preço das suas ações. Assim, a empresa passa a valer mais caso seus controladores resolvam vendê-la. O mercado americano também é interessante para as empresas que precisam de dinheiro para lançar um projeto ou ampliar sua linha de produção e querem fugir dos empréstimos.

 

Alavancagem

utilização de recursos de terceiros, normalmente por meio de operações de derivativos, com o objetivo de aumentar a exposição financeira do fundo de investimento acima de seu patrimônio líquido. Essa estratégia visa aumentar as possibilidades de ganhos, com conseqüente aumento do grau de risco do investimento.

 

Alocação de ativos

distribuição dos recursos da carteira do fundo de investimentos em diversos tipos de ativos, levando-se em conta risco e retorno.

 

Arbitragem

operação em que o investidor aufere um lucro sem risco, realizando transações simultâneas em dois ou mais mercados de um mesmo título.

 

Assembléia

é uma reunião de cotistas com o intuito de deliberar sobre interesses do fundo ou alterações. Existe uma assembléia anual de prestação de contas do fechamento do exercício. Assembléias extraordinárias podem ser convocadas pelo administrador ou pelos cotistas que representem, no mínimo 30% do patrimônio do fundo para deliberar sobre alterações no regulamento.

 

Assembléia Geral Extraordinária (AGE)

reunião de Acionistas, convocada e instalada na forma da lei e dos estatutos, a fim de deliberar sobre qualquer matéria de interesse da sociedade. Sua convocação não é obrigatória, dependendo das necessidades específicas da empresa.

 

Assembléia Geral Ordinária (AGO)

convocada obrigatoriamente pela diretoria de uma sociedade anônima para verificação dos resultados, leitura, discussão e votação dos relatórios de diretoria e eleição do conselho fiscal da diretoria. Deve ser realizada até quatro meses após o encerramento do exercício social.

 

Associação Nacional dos Bancos de Investimento (ANBID)

entidade de representação do segmento das instituições financeiras que operam no mercado de capitais, tendo com associados, basicamente, bancos de investimento e múltiplos com carteira de investimento.

 

Ativos do fundo

denominação utilizada para indicar a totalidade de títulos e valores mobiliários que compõem a carteira de um fundo de investimento.

 

Atlantic Rating

agência de classificação de risco de crédito sediada no Brasil cujo trabalho baseia-se tanto na análise dos balanços consolidados e demais informações quantitativas sobre bancos e empresas avaliadas, quanto em considerações sobre os dados qualitativos da sua administração. Os ratings da Atlantic Rating variam de AAA a C, respectivamente, a melhor e a pior classificação possível em termos da qualidade do banco ou empresa sob avaliação.

 

Avaliação atuarial

é o estudo técnico baseado em levantamento de dados estatísticos, no qual o atuário procura mensurar os recursos necessários à garantia dos benefícios oferecidos pelo sistema previdenciário, bem como analisar seu histórico e evolução, de forma a apresentar estratégias que permitam a sua adaptação aos novos cenários relativos às estatísticas da população analisada, dos investimentos e da evolução dos benefícios pagos

 

 


© 2012 Façopac - Sociedade de Previdência Privada - Todos os direitos reservados Política de Privacidade